Posts Recentes:

X está lançando um aplicativo de TV para vídeos ‘em breve’

X, empresa anteriormente conhecida como Twitter, está lançando...

Google E-E-A-T: o que é isso?

No mundo digital, a confiança é fundamental. É...

Google Responde a Evidências de Viés de Algoritmo em Avaliações


O Google respondeu a um pequeno editor cujo artigo ofereceu um passo a passo de como os grandes editores corporativos estão manipulando o algoritmo do sistema de avaliações do Google e escapando impunes, demonstrando o que parece ser um preconceito em relação às grandes marcas que impacta negativamente os pequenos editores independentes.

Exposição do algoritmo HouseFresh do Google

A história começa com uma postagem intitulada Como o Google está matando sites independentes como o nosso, publicada no site HouseFresh. Ele publicou o que afirmou ser uma evidência de que vários sites de avaliações corporativas manipularam o algoritmo do Google, criando a percepção de avaliações práticas para o que a HouseFresh afirma não serem avaliações reais.

Por exemplo, observou quantos editores classificaram um purificador de ar caro que a HouseFresh (e a Consumer Reports) revisou e descobriu ter um desempenho pior do que alternativas menos caras, consumia mais energia e exigia gastos de US$ 199,98/ano em substituições de purificadores. Mesmo assim, os sites de grandes marcas deram críticas elogiosas ao produto, provavelmente porque o alto custo resulta em maiores ganhos para os afiliados.

Notavelmente, eles mostraram como as fotos de produtos de diferentes editores de grandes marcas foram obtidas do mesmo fotógrafo no que parece ser exatamente o mesmo local, o que implica fortemente que os próprios editores individuais não avaliaram o produto.

HouseFresh ofereceu uma remoção detalhada do que eles insistem serem casos em que o Google mostra preferência por avaliações falsas.

Esta é uma lista parcial de sites alegados pela HouseFresh por classificarem com sucesso avaliações de baixa qualidade:

  • Melhores casas e jardins
  • Muito Simples
  • Dotdash Meredith
  • BuzzFeed
  • Reddit com link de spam descartado por usuário com conta suspensa
  • Ciência popular

HouseFresh publicou um relato lúcido e racional demonstrando como os algoritmos dos sistemas de avaliações do Google supostamente dão uma chance às grandes marcas, enquanto pequenos sites independentes que publicam avaliações honestas perdem tráfego constantemente a cada onda sucessiva de novos algoritmos do Google.

Google responde

O SearchLiaison do Google ofereceu uma resposta no X (antigo Twitter) que levou as acusações a sério.

Destacam-se na resposta os seguintes factos:

O Google não realiza verificações manuais em reivindicações feitas em páginas da Web (exceto como parte de um pedido de reconsideração após uma ação manual).

Os algoritmos do Google não usam frases projetadas para sugerir uma revisão prática como sinal de classificação.

Contato de pesquisa twittou:

“Obrigado. Apreciei a consideração da postagem, as preocupações e os detalhes nela contidos.

Repassei isso à nossa equipe de pesquisa junto com a minha opinião de que gostaria que fizéssemos mais para garantir que mostraríamos uma melhor diversidade de resultados que inclua publicações pequenas e grandes.

Uma nota para um excelente artigo. O artigo sugere que façamos algum tipo de “verificação manual” nas reivindicações feitas pelas páginas. Nós não. Essa referência e link são sobre revisões manuais que fazemos se uma página tiver uma ação manual de *spam* contra ela e registrar um pedido de reconsideração. Isso é totalmente diferente de como nossos sistemas de classificação automatizados procuram recompensar o conteúdo.

Um tanto relacionado, apenas fazer uma afirmação e falar sobre um “processo de teste rigoroso” e seguir uma “lista de verificação EEAT” não garante uma classificação superior ou de alguma forma faz com que uma página tenha um desempenho melhor.

Falamos sobre EEAT porque é um conceito que se alinha com a forma como tentamos classificar um bom conteúdo. Mas nossos sistemas automatizados não olham para uma página e veem uma afirmação como “Eu testei isso!” e acho que é melhor só por causa disso. Em vez disso, as coisas sobre as quais falamos no EEAT estão relacionadas com o que as pessoas consideram útil no conteúdo. Fazer coisas geralmente para as pessoas é o que nossos sistemas automatizados procuram recompensar, usando diferentes sinais.

Mais aqui: developers.google.com/search/docs/fundamentals/creating-helpful-content#eat

Obrigado novamente pela postagem. Espero que tenhamos um desempenho melhor no futuro para esses tipos de questões.”

O Google mostra preferência por grandes marcas?

Tenho trabalhado ativamente em SEO há 25 anos e houve um tempo, no início dos anos 2000, em que o Google mostrou preconceito em relação a grandes marcas corporativas com base na quantidade de PageRank que a página continha. Posteriormente, o Google reduziu a influência das pontuações do PageRank, que por sua vez reduziu a quantidade de sites irrelevantes de grandes marcas que obstruíam as páginas de resultados de pesquisa (SERPs).

Esse não foi um exemplo em que o Google preferiu grandes marcas como confiáveis. Foi um exemplo de seus algoritmos não funcionarem da maneira planejada.

Pode muito bem haver sinais no algoritmo do Google que inadvertidamente favorecem as grandes marcas.

Se eu adivinhasse quais tipos de sinais são responsáveis, diria que seriam sinais relacionados às preferências do usuário. O recente depoimento do Google Navboost no processo antitruste do Google deixou claro que as interações do usuário são um importante sinal relacionado à classificação.

Essa é a minha especulação sobre o que acho que pode estar acontecendo, que a confiança do Google nos sinais do usuário está tendo um resultado inadvertido, algo que venho apontando há anos (leia o algoritmo Froot Loops do Google).

Leia a discussão no Twitter:

O que BuzzFeed, Rolling Stone, Forbes, PopSci e Real Simple têm em comum?

Leia o artigo HouseFresh:

Como o Google está matando sites independentes como o nosso

Imagem em destaque por Shutterstock/19 STUDIO

Perguntas frequentes

Apresentar um processo rigoroso de testes de conteúdo influencia na classificação do Google?

Embora apresentar um processo de testes rigoroso e alegações de meticulosidade no conteúdo seja benéfico para a percepção do usuário, isso por si só não influencia as classificações do Google. A resposta do Google esclarece este aspecto:

  • Os algoritmos concentram-se em fatores relacionados à utilidade do conteúdo percebida pelos usuários, além de apenas alegações de testes aprofundados.
  • As alegações de um “processo de teste rigoroso” não são sinais de classificação por si só.
  • Os criadores de conteúdo devem se concentrar em atender genuinamente às necessidades de seu público e fornecer valor, pois isso está alinhado com os princípios de classificação do Google.

Que medidas o Google toma para verificar a precisão das reivindicações das páginas da web?

O Google não realiza verificações manuais da exatidão factual das afirmações feitas pelas páginas da web. Seus algoritmos se concentram na avaliação da qualidade e relevância do conteúdo por meio de sistemas automatizados de classificação. O conceito EEAT do Google foi projetado para se alinhar à forma como eles classificam o conteúdo útil, mas não envolve qualquer revisão manual, a menos que haja uma solicitação específica de reconsideração de ação de spam. Isso separa o escrutínio factual dos mecanismos automatizados de classificação de conteúdo.



Últimas

X está lançando um aplicativo de TV para vídeos ‘em breve’

X, empresa anteriormente conhecida como Twitter, está lançando...

Google E-E-A-T: o que é isso?

No mundo digital, a confiança é fundamental. É...

Como adaptar seu marketing para a nova era da análise de dados

Não é exagero dizer que o cenário dos...

Assine

spot_img

Veja Também

X está lançando um aplicativo de TV para vídeos ‘em breve’

X, empresa anteriormente conhecida como Twitter, está lançando...

Google E-E-A-T: o que é isso?

No mundo digital, a confiança é fundamental. É...

Como adaptar seu marketing para a nova era da análise de dados

Não é exagero dizer que o cenário dos...
spot_img

X está lançando um aplicativo de TV para vídeos ‘em breve’

X, empresa anteriormente conhecida como Twitter, está lançando em breve um aplicativo de TV dedicado para vídeos enviados à rede social. CEO...

A Perplexity está levantando mais de US$ 250 milhões com uma avaliação de US$ 2,5 a US$ 3 bilhões para sua plataforma de pesquisa...

Perplexity, a inicialização do mecanismo de busca de IA, é uma propriedade em alta no momento. O TechCrunch descobriu que a empresa...

Google E-E-A-T: o que é isso?

No mundo digital, a confiança é fundamental. É por isso que o Google vem aprimorando seus critérios de pesquisa, priorizando conteúdos que demonstram...