Posts Recentes:

UE investigará Delivery Hero e Glovo por preocupações com cartéis de entrega de alimentos

A Comissão Europeia anunciado uma investigação formal sobre...

Olhando para o futuro – SGE, Gemini…E AGI?

Este trecho é de SEO in the Gemini...

Hacking Digital PR: Como ganhar links de alta autoridade da mídia dos EUA

Está com problemas para fazer seu site ser...

Mais neobancos estão se tornando redes móveis — e o Nubank quer participar dessa ação


Nubank está dando seus primeiros passos no domínio das redes móveis, à medida que o Negociado na NYSE Neobanco brasileiro lança eSIM (SIM incorporado) serviço para viajantes. O serviço dará aos clientes acesso a 10 GB de roaming gratuito de Internet em mais de 40 países, sem a necessidade de trocar seu cartão SIM físico ou eSIM existente.

O lançamento vem logo após a notícia surgiu pela primeira vez que a Agência Nacional de Telecomunicações do Brasil (ANATEL) tinha planos discretos de luz verde para o Nubank se tornar uma operadora de rede móvel virtual (MVNO) em parceria com a gigante sem fio Claro. Embora esse plano permaneça nos estágios iniciais e o Nubank não tenha confirmado nenhum detalhe do lançamento (a empresa também se recusou a comentar para este artigo), agora podemos confirmar que está pelo menos entrando na ponta dos pés na esfera da rede móvel – uma tendência crescente dentro a fraternidade fintech.

CEO e cofundador do Nubank, David Vélez, e colegas marcam a estreia da empresa na Bolsa de Valores de Nova York em dezembro de 2021
CEO e cofundador do Nubank, David Vélez, e colegas marcam a estreia da empresa na Bolsa de Valores de Nova York em dezembro de 2021
Créditos da imagem: NYSE (abre em uma nova janela)

De neobancos a neo-MVNOs

Os Neobanks — um novo tipo de instituição financeira que atua como desafiantes nativos digitais para bancos estabelecidos — seguem os passos dos bancos tradicionais, oferecendo serviços auxiliares para atingir novos clientes, como ferramentas de orçamento, dados e insights de gastos, e fácil acesso ao mercado de ações. Enquanto neobancos aumentaram em popularidade, o mesmo aconteceu com o MVNO (operadora de rede móvel virtual), impulsionado pela ascensão do eSIM, da nuvem e da proliferação de software de terceiros que torna as estratégias de distribuição totalmente digitais muito fáceis.

O Nubank está na intersecção dessas tendências.

A empresa brasileira de 10 anos tem estado em crise ultimamente, com sua avaliação subindo cerca de 170% no ano passado e atingindo um máximo histórico de US$ 58 bilhões em março. A empresa passou de um prejuízo líquido de US$ 9 milhões em 2022 para um lucro líquido de US$ 1 bilhão no ano passadouma tendência que continua em 2024 com receitas recordes no primeiro trimestre e seu lucro líquido mais que dobrou no período correspondente do ano anterior. Nubank também passou 100 milhões de clientes em seus principais mercados, Brasil, México e Colômbia, onde opera uma gama de serviços, incluindo contas bancárias, cartões de crédito, empréstimos, seguros, investimentos e — agora — um serviço de dados móveis para viajantes.

O novo serviço destina-se a clientes de Nubank Ultravioletauma assinatura premium lançado há três anos com benefícios agrupados, como seguro, limites de crédito mais altos, reembolso, contas familiares e muito mais.

No mês passado, o Nubank revelou que estava entrando no setor de viagens com o lançamento iminente de uma nova “conta global”, em parceria com Fintech europeia Wise para oferecer aos assinantes da Ultravioleta transferências internacionais de dinheiro com tarifas baixas. Como parte disso, a empresa lança agora um serviço eSIM para quem possui smartphones compatíveis, com 10 GB de dados para viajantes nos EUA, América Latina e Europa. O eSIM é ativado por meio do aplicativo Nubank, com infraestrutura subjacente alimentada por Showsuma plataforma que oferece aos novos provedores de rede móvel tudo o que precisam por meio de uma única API – basicamente o que Stripe tem feito em finanças, mas para planos de telefonia móvel.

Gigs é apoiado por empresas como a Gradient Ventures, braço de capital de risco em estágio inicial do Google, e Dara Khosrowshahi, CEO da Uber.

“Agregar planos móveis representa uma alavanca poderosa para os neobancos transformarem usuários irregulares em assinantes pagantes mensais, incentivarem atualizações para recursos premium e criarem um ecossistema onde o setor bancário atua como um centro para vários serviços de valor agregado”, cofundador e CEO da Gigs. Hermann Frank disse ao TechCrunch.

NuGigs e1716478307335
Ativando eSIM no app Nubank
Créditos da imagem: Nubank via Gigs

O lançamento do Nubank ecoa movimentos em outras partes da disputa das fintechs. Em fevereiro, a Revolut — uma US$ 25 bilhões Neobanco do Reino Unido – lançou um serviço eSIM semelhante para assinantes premium. E no ano passado, Neobanco indiano Zolve também redes móveis adicionadas ao seu arsenal de serviços para que os imigrantes possam não apenas ter seus bancos abertos antes de chegar aos EUA, mas também ter um serviço móvel pronto para funcionar na chegada também.

Isto realça as sinergias entre os serviços financeiros e as comunicações móveis – ambos são essenciais para o funcionamento das pessoas hoje em dia, mas ambos enfrentam tradicionalmente obstáculos semelhantes, especialmente para aqueles que chegam a um país pela primeira vez. Nós vimos operadoras lançando serviços bancários como A T-Mobile fez nos EUA com Dinheiro T-Mobileenquanto os bancos tradicionais também seguiram na direção oposta, evidenciado pelo Banco Inter do Brasil e Standard Bank na África do Sulsendo que ambos lançaram seus próprios serviços MVNO.

“Nossa interação bancária hoje já está focada em nosso número de celular, seja para operações bancárias ou para verificações de segurança”, Allan T. Rasmussen, explicou um consultor, analista e especialista em MVNO da indústria de telecomunicações ao TechCrunch. “As operadoras móveis estão entrando no negócio bancário, tentando se tornarem bancos, e os bancos tradicionais e fintechs estão fazendo o mesmo, tornando-se MVNOs.”

Revolut eSIM
Serviço eSIM da Revolut
Créditos da imagem: Revolução

Mas os neobancos, em particular, são sinérgicos com os MVNOs: ambos são “virtuais”, com a tecnologia a desempenhar um papel importante nas suas respectivas ofertas, muitas vezes apenas com suporte online e acesso à conta. Eles também são ambos comercializado como tendo despesas gerais mais baixas, o que lhes confere maior agilidade e capacidade de oferecer preços mais baixos em relação aos operadores históricos. E, como vimos com a Revolut e agora com o Nubank, o eSIM está a impulsionar ainda mais esta polinização cruzada, à medida que lutam por participação, receitas e acesso a dados de clientes e pontos de contacto.

“Para ter sucesso como MVNO, você precisa de um canal de distribuição – esse é o primeiro teste de sua proposta para uma operadora”, James Graydiretor administrativo da consultoria do setor de telecomunicações Estratégia Graystone, disse ao TechCrunch. “Os bancos já têm isso com serviços bancários de rua ou através de sites e aplicativos. No entanto, a recente mudança da Revolut – e suspeito de outros neobancos no futuro – é interessante porque estas não são organizações tradicionais. Toda a sua missão é desafiar o status quo e estão a fazê-lo com muito sucesso no sector bancário, então porque não uma fusão bancária e de telecomunicações? Eles têm os canais e a influência da marca.”

MVN… não?

Um pequeno problema: os neobancos não estão realmente se posicionando como MVNOs com seus novos serviços eSIM de viagens. Um porta-voz da Revolut disse ao TechCrunch em fevereiro: “A Revolut não está se tornando um MVNO, mas fez parceria com 1Globalque reúne muitos acordos de acesso MVNO e de roaming em uma única rede para criar uma presença global das melhores operadoras.”

MVNOs são serviços móveis independentes construídos sobre a infraestrutura das operadoras, e existem muitos diferentes facilitadores de redes virtuais móveis (MVNEs) e agregadores (MVNAs) por aí (como 1Global) que ajudam as empresas a lançar redes móveis, cuidando do provisionamento do SIM, do faturamento e do como. Embora a Revolut não ofereça voz e SMS, nem aloque um número de telefone, ela ainda depende da infraestrutura da operadora por meio de um MVNE para oferecer um serviço de dados móveis de marca própria, o que parece muito com a Revolut se tornando uma MVNO.

Mas autodenominar-se MVNO poderia convidar a uma supervisão regulatória adicional. Embora os bancos já estejam rigorosamente regulamentados como instituições financeiras, ser classificados como empresas de telecomunicações provavelmente daria início a novas obrigações regulamentares. Isso é algo que estamos vendo acontecer agora nos EUA, com a Comissão Federal de Comunicações (FCC) tentando determinar se os carros conectados devem ser classificados como MVNOsDepois de uma Reportagem do New York Times sobre como os carros conectados estão sendo usados ​​por parceiros abusivos para rastrear suas vítimas.

Embora o Nubank esteja de fato se preparando para lançar um serviço MVNO no Brasil doméstico, seu serviço eSIM de viagens é mais simples de trazer ao mercado devido à sua parceria com Gigs, já que esse parceiro assume todas as complexidades de conformidade regulatória que acompanham o território.

“As telecomunicações são um setor altamente regulamentado em todos os países, e uma parte fundamental da proposta de valor ponta a ponta dos Gigs é que abstraímos toda a complexidade regulatória para nossos clientes”, disse Frank. “Para fazer isso, a Gigs quase sempre atua como operadora licenciada de registro, o que significa que o ônus da conformidade recai sobre a Gigs e não sobre nossos clientes. Isto permite que nossos clientes lancem seu próprio serviço móvel, sem se tornarem legalmente um provedor em um setor regulamentado.”

Últimas

UE investigará Delivery Hero e Glovo por preocupações com cartéis de entrega de alimentos

A Comissão Europeia anunciado uma investigação formal sobre...

Olhando para o futuro – SGE, Gemini…E AGI?

Este trecho é de SEO in the Gemini...

Hacking Digital PR: Como ganhar links de alta autoridade da mídia dos EUA

Está com problemas para fazer seu site ser...

Google abandona eliminação gradual de cookies de terceiros

O Google anunciou que não eliminará mais cookies...

Assine

spot_img

Veja Também

UE investigará Delivery Hero e Glovo por preocupações com cartéis de entrega de alimentos

A Comissão Europeia anunciado uma investigação formal sobre...

Olhando para o futuro – SGE, Gemini…E AGI?

Este trecho é de SEO in the Gemini...

Hacking Digital PR: Como ganhar links de alta autoridade da mídia dos EUA

Está com problemas para fazer seu site ser...

Google abandona eliminação gradual de cookies de terceiros

O Google anunciou que não eliminará mais cookies...

A base de usuários do Telegram sobe para 950 milhões e planeja lançar uma loja de aplicativos

O aplicativo de mensagens Telegram atingiu 950 milhões...
spot_img

UE investigará Delivery Hero e Glovo por preocupações com cartéis de entrega de alimentos

A Comissão Europeia anunciado uma investigação formal sobre a gigante de entrega de alimentos sediada em Berlim, Delivery Hero, e sua subsidiária espanhola,...

Olhando para o futuro – SGE, Gemini…E AGI?

Este trecho é de SEO in the Gemini Era, de Marie Haynes © 2024, e reproduzido com permissão da Marie Haynes Consulting Inc. Há...

Hacking Digital PR: Como ganhar links de alta autoridade da mídia dos EUA

Está com problemas para fazer seu site ser mencionado em grandes sites de notícias para impulsionar suas classificações em mecanismos de busca? Você...